VAGA BIBLIOTECÁRIO / ARQUIVISTA ...Projetamos seu arquivo com a CDU, NOBRADE ou qualquer coisa

postado em 26 de jan de 2011 20:32 por webmaster site   [ 26 de jan de 2011 22:28 atualizado‎(s)‎ ]
Algo que prezamos em nosso projeto é a presença dos colegas de Biblioteconomia, o que favorece um importante diálogo, mas até eles se divertem diante dos cenários que se apresentam. Há cursos que oferecem a possibilidade de dupla graduação, como na UFF, entretanto, o anuncio não procura um profissional super capacitado, mas qualquer um, seja Arquivista ou Bibliotecário, para desempenhar as atividades de projetar e gerenciar um arquivo. Vejam os detalhes do anúncio abaixo, reproduzido na íntegra:








VAGA BIBLIOTECÁRIO / ARQUIVISTA

Parceria Consultores contrata para projeto temporário em cliente:
Bibliotecário (a) ou Arquivista  com experiência em organização de arquivos, utilizando técnicas de organização documental (sugestão de softwares livre para gestão de documentos).
O trabalho consiste na proposição de modelagem para organização do arquivo e em seguida organização do arquivo nos moldes propostos, de modo que depois de organizado o mesmo seja gerido pelo cliente. O contratado irá contar com  dois colaboradores  para apoio nas atividades operacionais.
Projeto previsto para início em Fevereiro e término em Abril.
Interessados encaminhar currículo com indicação de referências profissionais e pretensão salarial para: camila@parceriaconsult.com
Atc,
 
Camila Costa


O que você esperaria dos serviços desta empresa? Será que ela sabe que CDU, CDD, Tabela de temporalidade e NOBRADE são coisas diferentes? (Sem mencionar dezenas de outras...) Qual o resultado e experiência será obtida por este cliente? 

Para responder a estas e outras perguntas, sugerimos que leiam uma ótima explicação sobre competências de arquivos, bibliotecas, museus e centros de documentação, na publicação Como Fazer (09) - Como implantar centros de documentação, disponível na seção Arquivologia online.

Por fim, vale citar ainda a legislação:

LEI N° 6.546, DE 4 DE JULHO DE 1978 

        O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

        Art. 1º - O exercício das profissões de Arquivista e de Técnico de Arquivo, com as atribuições estabelecidas nesta Lei, só será permitido:

        I - aos diplomados no Brasil por curso superior de Arquivologia, reconhecido na forma da lei;

        Il - aos diplomados no exterior por cursos superiores de Arquivologia, cujos diplomas sejam revalidados no Brasil na forma da lei;

        III - aos Técnicos de Arquivo portadores de certificados de conclusão de ensino de 2º grau;

        IV - aos que, embora não habilitados nos termos dos itens anteriores, contem, pelo menos, cinco anos ininterruptos de atividade ou dez intercalados, na data de início da vigência desta Lei, nos campos profissionais da Arquivologia ou da Técnica de Arquivo;

        V - aos portadores de certificado de conclusão de curso de 2º grau que recebam treinamento especifico em técnicas de arquivo em curso ministrado por entidades credenciadas pelo Conselho Federal de Mão-de-Obra, do Ministério do Trabalho, com carga horária mínima de 1.110 hs. nas disciplinas específicas.

        Art. 2º - São atribuições dos Arquivistas:

        I - planejamento, organização e direção de serviços de Arquivo;

        II - planejamento, orientação e acompanhamento do processo documental e informativo;

        III - planejamento, orientação e direção das atividades de identificação das espécies documentais e participação no planejamento de novos documentos e controle de multicópias;

        IV - planejamento, organização e direção de serviços ou centro de documentação e informação constituídos de acervos arquivísticos e mistos;

        V - planejamento, organização e direção de serviços de microfilmagem aplicada aos arquivos;

        VI - orientação do planejamento da automação aplicada aos arquivos;

        VII - orientação quanto à classificação, arranjo e descrição de documentos;

        VIII - orientação da avaliação e seleção de documentos, para fins de preservação;

        IX - promoção de medidas necessárias à conservação de documentos;

        X - elaboração de pareceres e trabalhos de complexidade sobre assuntos arquivísticos;

        XI - assessoramento aos trabalhos de pesquisa científica ou técnico-administrativa;

        XII - desenvolvimento de estudos sobre documentos culturalmente importantes.

        Art. 3º - São atribuições dos Técnicos de Arquivo:

        I - recebimento, registro e distribuição dos documentos, bem como controle de sua movimentação;

        II - classificação, arranjo, descrição e execução de demais tarefas necessárias à guarda e conservação dos documentos, assim como prestação de informações relativas aos mesmos;

        III - preparação de documentos de arquivos para microfilmagem e conservação e utilização do microfilme;

        IV - preparação de documentos de arquivo para processamento eletrônico de dados.

        Art. 4º - O exercício das profissões de Arquivista e de Técnico de Arquivo, depende de registro na Delegacia Regional do Trabalho do Ministério do Trabalho.

        Art. 5º - Não será permitido o exercício das profissões de Arquivista e de Técnico de Arquivo aos concluintes de cursos resumidos, simplificados ou intensivos, de férias, por correspondência ou avulsos.


Wikipédia (Mico-leão-dourado). Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Mico-le%C3%A3o-dourado>. Acesso em: 26 jan. 2011.
O Povo Online. Disponível em: <http://blog.opovo.com.br/empregosemfortaleza/vaga-bibliotecario-arquivista/>. Acesso em: 26 jan. 2011.
Presidência da República do Brasil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/1970-1979/L6546.htm>. Acesso em: 20 set 2010.

Comments